Investindo no mercado crypto: por onde eu começo?

Por onde eu começo?

“Como eu compro Bitcoin?” “Onde o Bitcoin fica guardado?” “Quanto dinheiro preciso investir?” “É seguro comprar Bitcoin?” “Posso usar Bitcoin para alguma coisa?”

São muitas as perguntas de quem quer entrar no mercado de criptoativos. O objetivo deste artigo é responder algumas delas e preparar você para a revolução tecnológica mais importante do século!


Curiosidade: O Bitcoin foi a primeira cryptocurrency criada, em 2009. Hoje, no momento em que este artigo é escrito, mais de 1500 moedas e tokens diferentes estão disponíveis para compra!


Onde eu compro Bitcoin?

A maneira mais fácil de comprar Bitcoin é através das crypto exchanges. Exchanges são corretoras especializadas que comercializam determinados capitais. Em outras palavras, são plataformas que nos permitem vender e comprar tokens e moedas de outras pessoas. Para acessar estas plataformas você precisa fazer um cadastro no site da exchange, que pode ser aprovado automaticamente ou mediante verificação da empresa.

Em geral, exchanges que aceitam depósito/retirada de fiat possuem um processo mais rigoroso de verificação. Selfies, identidade e comprovação de residência são algumas das exigências mais comuns. Já no caso das exchanges que permitem apenas depósito/retirada de cryptocurrencies, o processo de verificação da conta é bem mais simples, sendo efetuado em poucas horas na maioria das vezes. Não é difícil de se imaginar o porquê desta diferenciação de rigor uma vez que sabemos a importância do controle Estatal sobre as moedas nacionais (veja mais detalhes no artigo Blockchain: Como Tudo Começou).

Apenas as principais moedas podem ser compradas com fiat, como é o caso da Bitcoin, da Ethereum ou da Litecoin. Estas são chamadas de moedas-base, pois permitem a conversão da moeda nacional para cryptocurrency. A partir da compra das moedas-base, outras moedas e tokens podem ser adquiridos. Portanto, cada exchange possui determinados Pares de Troca (trading pairs), que permitem a conversão de criptoativos.

Vamos entender melhor como funciona este processo partindo do princípio:

1º Comprar cryptocurrency com fiat

Para efetuarmos a compra de moedas-base, precisamos criar uma conta em uma exchange habilitada para conversão de fiat para criptomoedas. Se você estiver no Brasil, as principais exchanges que permitem esta transação são: Foxbit, Mercado Bitcoin, BitcoinTrade e Braziliex. A conta pode ser criada em alguns minutos seguindo as orientações do site, no entanto, para habilitar a transferência de fiat você deve fornecer uma série de documentos, como já foi citado acima.

Devido ao enorme volume de pessoas entrando no mercado, algumas exchanges estão experimentando um congestionamento acentuado, o que atrasa muitas vezes a verificação da sua conta. Tenha paciência e entre em contato com as equipes de suporte. Este é mais um sinal de que você está no caminho certo!

As formas mais comuns de se transferir fiat para as exchanges são através de transferências bancárias ou cartão de crédito. Tome cuidado com o crédito, não oferecemos consultoria de investimentos mas esperamos que você preserve seu capital. No momento em que o dinheiro é creditado na sua conta da exchange você pode iniciar as compras. Cada exchange possui uma determinada lista de tokens e coins que podem ser comercializados, por este motivo é comum que os investidores do mercado crypto tenham contas em inúmeras corretoras.

2º Comprar cryptocurrency com moedas-base

Agora que você possui suas primeiras cryptocurrencies, é possível comprar todas as outras. As principais corretoras que comercializam altcoins (moedas alternativas ao Bitcoin) são: Binance, Bittrex, Cryptopia e Kucoin. Nenhuma destas é de origem brasileira, o que não impede que você crie uma conta e faça a transferência de criptoativos. Como estas exchanges não possuem trading pairs entre fiat e cryptocurrencies, a verificação da conta é bem mais simples e rápida.

Cada corretora gera um endereço específico de transferência para cada moeda que você possui, permitindo que você receba ou envie cryptocurrencies de uma para outra como se estivesse enviando um e-mail. E o melhor de tudo: este processo não leva mais do que alguns minutos na maioria das vezes!

Para entendermos melhor vamos ao exemplo: suponha que você possua 1 Bitcoin (BTC) na corretora Mercado Bitcoin e deseja comprar este valor equivalente em NEO (NEO), uma moeda que a exchange não negocia. Considere os seguintes passos:

a) Faça sua pesquisa e verifique onde e como são negociados os criptoativos que você deseja adquirir, ou seja, qual exchange possui o trading pair BTC-NEO. Apenas neste caso você poderá trocar seu Bitcoin por NEO;

b) Crie a conta na exchange e atenda aos protocolos de segurança. Para depósitos de cryptocurrencies a aprovação é imediata;

c) Procure na plataforma da exchange o campo relacionado a depósitos e a moeda que você deseja depositar (Bitcoin, neste caso);

d) A corretora vai gerar um endereço de blockchain para a sua moeda, uma sequência de algarismos que funciona grosseiramente como um endereço de e-mail. Lembre-se que cada moeda possui um endereço diferente, pois cada uma delas possui uma blockchain diferente. JAMAIS envie uma moeda para o endereço de outra, isso resultará na perda de seus capitais;

e) Acesse a corretora remetente e procure o campo retiradas. Neste momento a exchange irá solicitar que você determine a quantidade de capital a ser transferido e o endereço de blockchain a qual será destinado o montante;

f) Realize as confirmações de segurança e pronto! Em pouco tempo seus Bitcoins estarão em outra exchange e você poderá adquirir outras cryptocurrencies

Quanto preciso investir em Bitcoin?

“O Bitcoin está muito caro! Como eu faço?”. Essa talvez seja a pergunta que está martelando sua cabeça neste momento, mas a resposta pra ela é rápida: você não precisa comprar um Bitcoin INTEIRO! O Bitcoin é fracionado em até 8 casas decimais, o que significa que você pode comprar parcelas da moeda.

Exemplo: Suponha que você queira investir R$ 100,00 (cem reais) e o valor do Bitcoin atualmente é R$ 40.000,00 (quarenta mil reais).

100 / 40.000 = 0,0025. Esta é a fração de Bitcoin que o seu investimento representa, e nada impede que você compre esta quantidade de Bitcoin.

Para simplificar a compreensão e o possível uso do Bitcoin como moeda, foi criado um consenso para sua quantificação. O valor do Bitcoin pode ser lido a partir da sua última casa decimal e suas unidades são chamadas de satoshis, em homenagem ao criador.

Exemplo:

0,00250000 = 8 casas decimais = 250.000 satoshis

Portanto, com 250k satoshis é possível adquirir duas pizzas grandes hoje!


Curiosidade: Em 17 de Maio de 2010 ocorreu a transação conhecida como o primeiro uso real do Bitcoin. Laszlo Hanyecz, um programador da Flórida, comprou duas pizzas por nada mais nada menos do que 10.000 Bitcoins! A data é celebrada hoje como o Bitcoin Pizza Day.


Onde eu guardo o Bitcoin?

Chegamos em um dos maiores medos dos recém chegados ao mundo crypto. “É possível hackear Bitcoin?” “Existe uma carteira para guardar cryptomoedas?”. Não se assuste, o CryptoBags te dá dicas para um gerenciamento seguro dos seus investimentos!

blockchain NÃO pode ser hackeada! Para alterar informações de transações, o número de identidade (hash) do bloco precisa ser alterado também. Como cada bloco da cadeia possui a hash do bloco anterior, TODOS os blocos gerados depois deste precisariam ser alterados. Isso é tecnologicamente impossível visto o poder de descentralização da rede. É como se um livro de contas precisasse ser reescrito sempre que alguém quisesse alterar um registro, ao mesmo tempo que o mundo inteiro escreve novos registros neste livro.

O ponto fraco do sistema reside no armazenamento destes capitais. As exchanges são constantemente alvos de hacks e roubos de criptomoedas, além disso há uma enormidade de golpes que tentam atingir os usuários individualmente. Entretanto, existem algumas carteiras especializadas onde você pode guardar seus investimentos de forma mais segura.

Como citamos anteriormente, o seu saldo fica registrado em um endereço de blockchain diferente para cada moeda que você possui. Para transferir recursos para ou a partir destes endereços você precisa de uma senha, chamada de private key. A proteção das suas private keys é o segredo para o seguro armazenamento dos seus capitais. Vamos às principais opções de carteiras:

Carteiras online (online wallets): Suas criptomoedas são armazenadas em um endereço da blockchain disponibilizado na internet, através de uma plataforma onde você cria uma conta. É um método tão inseguro quanto deixar seus capitais em exchanges, pois suas private keys ficam disponíveis na internet, o que facilita o acesso para os hackers. Principais: GreenAddress, BitGo e CoinSpace.

Carteiras desktop (desktop wallets): Os endereços de blockchain neste caso são fornecido por um software, a diferença das carteiras desktop para as carteiras online é o fato de suas private keys ficarem armazenadas no seu computador. Elas podem falhar no momento em que você permite o acesso de um malware, que ocorre através de emails ou sites maliciosos. Principais: Electrum, Exodus e Bitcoin Core.

Carteiras hardware (hardware wallets): Também chamadas de cold wallets, as carteiras hardware são aparelhos que mantém as suas private keys desconectadas de qualquer computador ou rede. São carteiras que habilitam o acesso ao seu endereço de blockchain apenas quando conectadas ao computador, parecidas fisicamente com um pen drive. É sem dúvida o método mais seguro para o armazenamento de seus criptoativos. Principais: Ledger Nano STrezor.

Todos os tipos de carteira têm suas vantagens. Caso você faça operações frequentes no mercado e precisa de agilidade nas transações, uma carteira desktop pode ser uma boa opção. Se você está comprando cryptocurrencies para investimentos de longo prazo, sem dúvidas uma cold wallet vai ser mais apropriada. O importante é que você preserve seus criptoativos e se proteja dos golpes.

Boas compras!